Dia do Dentista – Veteranos falam sobre a evolução da Ortodontia

Compartilhe:

O dia 25 de Outubro é especial para os dentistas brasileiros. A data comemora a criação do primeiro curso de Odontologia no país, em 1884.
Desde então, as técnicas da profissão avançaram, graças à pesquisa e incorporação de novas tecnologias. Alguns procedimentos se tornaram menos invasivos, oferecendo maior conforto ao paciente.

Entre as especialidades da Odontologia, a mais antiga é a Ortodontia, responsável pelos cuidados não só dos dentes, como também do crescimento e desenvolvimento craniofacial.

Ao longo de 53 anos de carreira, Dr. Renato Rodrigues de Almeida viu muitas dessas mudanças acontecerem na especialidade em que atua.

“A Ortodontia desenvolveu-se muito como ciência, não apenas como disciplina. É considerada uma ciência em que temos a parte teórica e pratica. Quando penso que estão acabando as tecnologias, como a cefalometria, a radiografia; surge a tomografia. Já estamos na evolução da tomografia com a terceira dimensão. Então, agora tudo é scanner informatizado e isso facilitou muito”, afirma.

Além dos exames, as técnicas ortodônticas tiveram um grande salto. “Antes tínhamos um laço seco e duro. Fios, vamos dizer, de qualidades não tão boas como atualmente, misturas de ligas metálicas, uso frequente de aparelhos extra bucais. Em compensação, agora entraram os parafusos, algo que não se falava em Odontologia.”
Dr. Renato Almeida conta que existem muitas opções de marcas que fabricam peças ortodônticas e geram uma infinidade de opções de produtos; bem maior do que havia no início de sua carreira.

Com 47 anos de Odontologia e 42 de Ortodontia, para Dr. Jurandir Barbosa, até 15 anos atrás, a especialidade que previne e corrige anormalidades no alinhamento dos dentes era muito prestigiada, mas como o crescimento do mercado atraiu muitos dentistas para a Ortodontia, causou a desvalorização. “O conhecimento básico, tão necessário para poder exercer nossa especialidade, foi esquecido, e o mercantilismo tomou o espaço da ciência”, queixa-se.

Os pacientes já não são mais os mesmos do passado. “Quando o paciente procura um profissional já vem com o conhecimento, pesquiso na internet, sabe sobre os aparelhos, foi consultado por um, dois ou três especialistas”, afirma Dr. Renato.

Com isso, as novas demandas dos pacientes exigiram dos profissionais outros tipos de aprendizado. “No início, passou pela estética dental, depois foi se juntado à estética bucal e, por último, a estética facial, que é uma exigência dos pacientes atuais”, afirma Dr. Jurandir Barbosa.

Apesar da evolução das técnicas ter facilitado o trabalho ortodôntico, não significa que a qualidade dos dentistas não era tão boa quanto a atual. “Não tem o que se fazia no passado, e o que deveria ser feito hoje e não se faz. É preciso procurar sempre fazer o melhor para o paciente.”

Dessa forma, é importante que o profissional identifique tendências importantes na profissão, que está em constante evolução.

“Eu acredito que o futuro vai ser maravilhoso, da mesma forma que o presente. Já estamos caminhando para uma parte do futuro e eu agradeço, com a idade que eu já tenho, estar assistindo às transformações de algo que tínhamos empiricamente quando iniciei a Ortodontia.”

Fonte: Dental Press. Disponível em: https://www.dentalpress.com.br/portal/veteranos-da-ortodontia/. Acesso em 18/06/2018.